• bia674

Plastificação e laminação, entenda as suas diferenças


Dúvidas sobre Plastificação e Laminação são muito comuns, ainda mais para quem está iniciando neste ramo. Apesar de serem assuntos que andam juntos, existem grandes diferenças entre eles. Isso porque estes processos se baseiam em proteger e dar acabamento em impressos com plásticos especiais sob pressão e calor, mas quando as técnicas são aplicadas você percebe como são diferentes. Quer saber como isso funciona?

Antes de tudo, é importante conhecer as particularidades de cada material.


A técnica de Plastificação é aplicada com polaseal, um plástico de folha dupla feito à base de Poliéster e Polietileno que envolve o impresso para proteger contra a umidade e rasgos, além de preservar as informações. Um exemplo clássico de Plastificação com polaseal é o RG.


O Polipropileno Bi-orientado ou simplesmente BOPP é o material mais utilizado para a realização do serviço de laminação. Esse serviço também pode ser realizado com PET-PE, que também é fabricado com poliéster e objetiva proteger os materiais de riscos e dar maior resistência aos rasgos.


Ambos materiais são uma película de plástico resistente que geralmente é utilizada sobre a impressão de capas de agendas, planners, scrapbooks, blocos de anotações e etc.

Quando aplicados sob pressão e calor, essa fina camada adere sobre a impressão e além de proteger, agrega na estética do produto final.





Como o próprio nome já diz a Plastificação é um processo exclusivo feito por plastificadoras. Isso porque o plástico utilizado é compatível com a temperatura que o equipamento é capaz de gerar.


No caso da laminação, o processo é realizado por uma máquina chamada termolaminadora. Esse equipamento oferece suporte para as bobinas e sua capacidade de ajuste de temperatura é ideal para não danificar o material.


É válido mencionar que alguns profissionais da área realizam suas laminações com uma plastificadora, já que este equipamento tem um valor mais baixo, fazendo o uso indispensável do protetor térmico.


Como a composição dos plásticos são diferentes, o uso do protetor térmico evita o derretimento do BOPP e que acabe danificando os rolos da plastificadora, por isso é importante que tome cuidado com esse procedimento, pois os fabricantes de plastificadoras não validam essa prática e pode ocorrer perda de garantia da máquina.


Por ser uma folha dupla a Plastificação tem a necessidade de selar, ou seja, sobram bordas no documento para que não corra o risco de abrir. O papel fica mais resistente, destaca a informação e você pode realizar a higienização do impresso plastificado, uma grande vantagem para o seu consumidor.


O polaseal está disponível em várias espessuras, variando a consistência do papel.


Já a laminação não deixa bordas por aderir a impressão e não corre o risco de abrir quando feita na temperatura correta. Evita o desbotamento e desgaste, permite maior durabilidade e resistência ao papel, além de oferecer diversos efeitos ao impresso como: brilho, fosco, aveludado, holográfico e etc.


É recomendado que lamine papéis lisos, uma vez que os com texturas podem não obter um bom acabamento.


Agora que você já sabe como funciona cada processo, pode realizá-los para suas finalidades e com os insumos necessários e específicos de cada um.


Ainda está com dúvida? Deixe nos comentários.

Até breve!





241 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo